X

Como podemos ajudar
seu consultório ou clínica?

Sim Não
Sim Não
Sim Não
Sim Não
Sim Não
Sim Não
Sim Não
Sim Não
Sim Não
Sim Não
X

Como podemos ajudar
seu consultório ou clínica?

Sim Não
Sim Não
Sim Não
Sim Não
Sim Não
Sim Não
Sim Não
X

Como podemos ajudar
seu consultório ou clínica?

Sim Não
Sim Não
Sim Não
Sim Não
Sim Não
Sim Não
Sim Não
SEVEN Consultoria | Marketing | Software

blog seven

5 sinais vitais para diagnosticar a saúde do seu consultório médico

Software | 07 de ago, 2018

Prestar bons serviços, ter uma equipe altamente qualificada, clientes satisfeitos… Todos esses requisitos, certamente, são essenciais para manter o padrão de qualidade de seu consultório médico. No entanto, estar atento a alguns pontos pode ser vital para garantir o bom andamento do negócio.

Assim como a saúde humana, negócios também apresentam sinais que podem ser analisados para avaliar sua saúde. Preparamos uma lista com 5 desses sinais que podem ajudar a fazer um diagnóstico do seu consultório. Confira:

1. Dias e horas trabalhadas

Listamos a quantidade de dias e horas trabalhadas como a primeira métrica, pois ela tem impacto sobre todas as outras. Mensure e avalie o tempo gasto por cada indivíduo da sua equipe para ver quantas horas são dedicadas às consultas e quantas são usadas para compromissos administrativos, por exemplo. Com isso bem definido, veja se o tempo está sendo bem empregado e qual o retorno que ele vem gerando. Faça os ajustes necessários.

2. Financeiro

Analise as variações das entradas e saídas. Esse acompanhamento vai permitir analisar, por exemplo, em quais períodos do ano há uma queda no número de consultas. Talvez essa seja a melhor época para dar férias a alguns profissionais, assim você os terá 100% dedicados nos períodos de maior movimento. Também é bom acompanhar de perto fatores como atrasos nos faturamentos e pagamentos, flutuações no número de serviços que impactam diretamente na movimentação financeira.

3. Repasses dos planos de saúde e convênios

Acompanhar os prazos dos repasses de recursos por parte dos convênios e operadoras de planos de saúde também é uma atitude saudável. Ter na ponta do lápis e, – por que não – da língua, as datas e os percentuais repassados pode ajudar a planejar e administrar, por exemplo, o agendamento de consultas. Com essas informações, você pode equilibrar os serviços oferecidos com determinados retornos financeiros de modo que não passe períodos com poucas entradas, evitando assim o desequilíbrio das suas contas.

4. Controle de despesas

Despesas devem ser categorizadas. Assim, você saberá quando um determinado aumento de despesa irá impactar em determinado serviço. Quando você categoriza, pode, por exemplo, determinar que uma alta nos custos de seringas e agulhas deve elevar o preço das vacinas. Classifique suas despesas fixas e variáveis (recursos humanos, serviços de emergência como manutenção do ar condicionado, materiais descartáveis, medicamentos etc) e determine a quais serviços prestados por sua clínica elas estão diretamente ligadas.

5. Contas a pagar e a receber

Controlar datas de pagamentos e negociar prazos melhores é fundamental. O que muita gente não controla é as contas a receber. Um forte controle do que deverá entrar e, ainda, de quando deverão entrar os recursos pode ser vital. Estabelecer juros para atrasos e ter um serviço de cobrança eficiente são fatores que melhoram a produtividade e inibem a inadimplência. Para isso, existem ferramentas de controle simples e baratas, que oferecem alertas e geram relatórios nos prazos estipulados. Use a tecnologia a seu favor, afinal, quanto menos você precisar se preocupar com a burocracia, melhor.

Como está a saúde do seu consultório médico? Compartilhe suas dúvidas que teremos prazer em ajudá-lo!